Blog

Não é possível falar de 2021 sem ter em conta o ano de 2020 e todo o contexto pandémico. Que soft skills se destacaram e quais ganham terreno em 2021?

Em apenas alguns meses, entrámos numa nova realidade impossível de prever. Uma realidade que nos põe à prova todos os dias, a vários níveis. A nível empresarial, a mudança foi abrupta, obrigando a fortes reestruturações de equipas, métodos de trabalho, prioridades.

Desde março que as empresas se viram obrigadas a colocar os seus colaboradores em teletrabalho, alterando profundamente as suas rotinas.

Agora que já houve tempo para maturar processos, muitas empresas consideram o trabalho remoto uma vantagem, uma vez que houve um aumento significativo da produtividade e uma descida nas despesas (tanto para empresas, como para colaboradores). Em muitos casos, essa mudança será definitiva.

Nesta nova realidade, as empresas procuram, mais do que nunca, pessoas flexíveis, com boas capacidades comunicativas e com grande foco na resolução de problemas.

 

 

 

O QUE NOS PEDE O FUTURO?

Segundo o World Economic Forum, existem dez competências – tanto soft como hard skills – a que se deverá dar atenção nos próximos cinco anos. A organização destaca competências ligadas à resolução de problemas, autogestão, trabalhar em equipa e utilização de tecnologia.

A autogestão surge assim como uma área emergente, englobando capacidades como a aprendizagem ativa, resiliência, tolerância ao stress e a flexibilidade.

5fc23c38a34dc465accf4d1a_weforum-skills.jpeg

O QUE SÃO SOFT SKILLS?

Podemos considerar soft skills como competências pessoais que contribuem para um bom desempenho profissional. Estes atributos não estão ligados a nenhuma área laboral específica, no entanto, facilitam a execução das funções e contribuem também para um bom ambiente dentro da organização. Alguns exemplos são a atitude positiva, proatividade ou a facilidade em trabalhar em equipa.

DIFERENÇA ENTRE HARD E SOFT SKILLS

Se as soft skills se referem a competências pessoais (mentais, sociais e emocionais), adquiridas ao longo da vida e úteis em vários contextos, as hard skills referem-se a competências técnicas, ou seja, requisitos específicos para o desempenho de determinada função, como o domínio de um determinado software ou de uma língua.

Devido à sua natureza técnica, as hard skills são mais fáceis de aprender. As soft skills estão diretamente ligadas ao desenvolvimento pessoal, logo, dependem de vários fatores e, apesar de poderem ser desenvolvidas, é um processo diferente de aprender uma língua ou trabalhar num determinado programa.

Atualmente, os recrutamentos têm-se focado mais nas soft skills, porque um bom desenvolvimento destas competências impacta positivamente nos resultados das empresas.

gabrielle-henderson-5HqtJT2l9Gw-unsplash.jpg

DESTACO 8 SOFT SKILLS PARA 2021:

1. Flexibilidade

Uma das muitas coisas que a pandemia nos trouxe foi esta ideia de que tudo pode mudar muito rápido e, nesses casos, a capacidade de adaptação é fulcral. O ambiente de trabalho e as rotinas mudaram profundamente, em muitos casos, definitivamente. Uma personalidade flexível e que facilmente se adapta a novos contextos torna-se assim uma das competências mais importantes para 2021.

2. Inteligência emocional

Pode dizer-se que a inteligência emocional é um “must-have” para qualquer pessoa, sendo uma das competências mais importantes. Sem esta capacidade, gerir emoções (as próprias ou as dos outros), criar empatia, promover um bom ambiente laboral, lidar com críticas ou manter uma boa comunicação, entre outros, será muito mais difícil.

‍3. Gestão de tempo

Tal como a flexibilidade, também a gestão de tempo se tornou, este ano, uma peça central no desempenho de funções. Com as equipas a trabalharem a partir de casa, onde a vida pessoal se mistura com a profissional, conseguir gerir de forma eficiente o tempo disponível é uma vantagem para qualquer organização, mesmo num contexto pós-pandémico.

‍4. Pensamento crítico

A capacidade de analisar as situações, olhar para elas de outros ângulos e tomar decisões pensadas (e não por impulso), constitui uma mais-valia para as organizações.

‍5. Criatividade

Muito associada a áreas mais artísticas, a criatividade é uma competência fundamental no desempenho de qualquer função, em qualquer área. Uma mente criativa está mais aberta a encontrar novas soluções para os desafios e mais disponível para aprender. É em pessoas assim que as organizações querem apostar.

‍6. Comunicação

Esta foi outra habilidade que 2020 mais trouxe à tona. Não que não se conhecesse a importância de uma comunicação clara e assertiva, mas num contexto em que as pessoas deixam de estar fisicamente juntas, saber comunicar torna-se ainda mais crucial, para facilitar processos e enfrentar os desafios. Além de saber comunicar, é também muito importante saber ouvir.

‍7. Mentalidade de crescimento

Esta habilidade traduz a aptidão de superar desafios e acreditar nas próprias capacidades. Pessoas com este mindset são seguras, resilientes, arriscam mais e têm mais facilidade em encontrar soluções nas dificuldades.

‍8. Liderança

Gerir pessoas é dos desafios mais difíceis que alguém pode encontrar. Estas pessoas destacam-se pela sua capacidade de resolução de problemas, tomada de iniciativa e gestão de colaboradores. Além disto, esta competência deve também ser capaz de criar uma equipa unida e de lhe dar confiança.

TENS DÚVIDAS?

Deixa-nos uma mensagem







Li e aceito a Política de Privacidade