Blog

Os nossos hábitos, bons e maus, estão de tal forma automatizados que é difícil perceber o seu impacto na nossa vida. Fique a perceber melhor este processo e que estratégias pode utilizar para eliminar hábitos que já não se alinham consigo.

Todas as mudanças de hábitos, seja para criar um hábito ou eliminá-lo, requerem compromisso e consistência, sem radicalismos ou mudanças bruscas.

A primeira dúvida que poderá surgir neste processo é perceber como identificar os hábitos que devem ser eliminados. Para isso, é importante que se conheça, saiba quais os seus valores e objetivos, para perceber que hábitos estão ou não alinhados consigo.

Depois, pode ser interessante questionar-se se um determinado hábito limita o seu potencial ou, pelo contrário, o ajuda a atingir os seus objetivos. Por fim, reflita sobre se essa ação cria problemas ou resolve-os.

Clarificadas estas primeiras questões, importa perceber como se formam os hábitos e porque é tão difícil mudá-los.

Como se formam os hábitos?

 

Os hábitos constroem-se com aprendizagem e repetição. Sempre que repete uma ação e recebe uma recompensa, está a criar um novo hábito, criando um automatismo que desencadeia um comportamento.

Este comportamento vai sendo cada vez menos consciente e cada vez mais automático, ainda que nem sempre seja saudável ou útil. Interromper esta cadência de ação-recompensa é bastante desafiante, mas é possível.

Porque é tão difícil mudar de hábitos?

 

Começar a fazer exercício, deixar de fumar, mudar a alimentação, ter uma rotina de sono: toda e qualquer mudança vai encontrar resistência e vai ser desconfortável, porque estará a ir contra o percurso natural e automático, que é ter esse comportamento. É um caminho que já existe, funciona e não precisa de pensar muito sobre ele.

Além disso, tendemos a querer mudar tudo de uma vez e depressa, sem contar com as dificuldades típicas de um processo de mudança: retrocessos, desconfortos e outras coisas a acontecer ao mesmo tempo.

Muito foco, auto-observação e consistência serão essenciais para quebrar hábitos indesejados e trilhar novos caminhos.

5 dicas para eliminar hábitos indesejados

 

1. Conheça o seu hábito

Se não conhece os seus hábitos, a probabilidade de os repetir de forma mecânica é muito maior. Mesmo quando esse comportamento não é favorável e não lhe traz nada de bom, como está automatizado, nem o questiona, apenas o executa.

Ganhe consciência do comportamento, recolha informações, pesquise, registe, avalie.

Que gatilhos despoletam essa ação? Quantas vezes por dia o repete? Que emoção ou emoções predominam nesses momentos? Como se sente depois?

Quanto mais informação tiver do seu lado, melhor.

 

2. Elimine os gatilhos

Antes de mais, identifique os gatilhos que o levam a essa ação. Dessa forma, será mais fácil eliminá-la. Se tem dificuldade em concentrar-se ou distrai-se facilmente, uma notificação no telemóvel pode ser suficiente para perder 10 minutos ou mais a fazer scroll nas redes sociais, mesmo que saiba que esse comportamento não lhe vai trazer nenhuma vantagem. Neste caso, manter o telemóvel – ou seja, o gatilho – longe ou desligar todas as notificações pode ajudar, pois estará a dificultar o contexto para isso voltar a acontecer. Dificulte o processo!

 

3. Tenha um Plano B

Em vez de eliminar um hábito, experimente substituí-lo por um comportamento que seja favorável. Voltando ao exemplo do telemóvel, se está com dificuldade em concentrar-se numa tarefa, pode ser útil fazer uma pequena caminhada ou até resolver algum assunto que esteja pendente, voltando depois ao que estava a fazer.

Desta forma, estará, aos poucos, a quebrar o hábito de ir automaticamente ao telemóvel sempre que estiver distraído ou com dificuldade em terminar uma tarefa, substituindo-o gradualmente por uma tarefa mais útil/agradável.

 

4. Treine a disciplina

Não dependa da força de vontade, porque ela nem sempre existe. Quanto mais treinar a disciplina, mais fácil será resistir aos impulsos mais imediatos. Para treinar a disciplina, defina passos pequenos e um de cada vez e não desista ao primeiro obstáculo. Disciplina e foco no objetivo final vão ajudar a resistir àqueles comportamentos que já estão no piloto automático.

 

5. Esqueça a perfeição

Apenas porque ela não existe…! Não se frustre atrás de algo que não vai acontecer, criando expectativas irreais e aumentando as hipóteses de desistir a meio do caminho. Defina o seu plano, focando-se no que pode fazer para melhorar a cada dia, e não para ser perfeito.

Depois, comece. Com dúvidas, receios e imperfeições, mas comece!

TEM DÚVIDAS?

Deixe-nos uma mensagem







Li e aceito a Política de Privacidade